Montanha Para Todos

Primeira expedição brasileira de para-atletas para uma montanha com mais de 6000 metros

A força e a determinação que algumas pessoas têm para lidar com os desafios da rotina e realizar as mais simples tarefas é a grande fonte de inspiração para o projeto Montanha Para Todos.

O Brasil inteiro se emocionou quando a história de Juliana Tozzi e Guilherme Cordeiro  ganhou repercussão na mídia nacional. Juliana vivia normalmente e praticava montanhismo com seu marido até que uma rara síndrome neurológica lhe tirou a coordenação dos movimentos. Sabendo a falta que a montanha fazia para Juliana, Guilherme desenvolveu uma cadeira de rodas especial para poder levá-la até as trilhas que costumavam fazer antigamente.

Já Raphael Nishumura convive desde a infância com os desafios que a distonia muscular traz para sua vida. Mesmo com dificuldades de movimentação, Raphael decidiu se tornar um escalador esportivo. Atualmente ele é vice-campeão mundial de Para-Escalada além de praticante de para-ciclismo.

Motivado por essas incríveis histórias de superação o Montanha Para Todos tem o objetivo de compartilhar a experiência única de estar tão alto com essas pessoas que são exemplos de luta e perseverança.  O destino escolhido pela equipe Gente de Montanha é o Monte Acotango, na Cordilheira Ocidental da Bolívia, com seus majestosos 6052 metros de altitude. A expedição partirá em agosto de 2018 e qualquer pessoa com experiência em altitude e trekking poderá participar.

Essa expedição é uma grande chance de ter uma experiência diferente na montanha, acreditamos que compartilhar um pouquinho dos desafios, dificuldades e aprendizados com essas pessoas será recompensador para todos e assim queremos mostrar que não a limites para superação humana.

Nossa intenção não é provar que portadores de deficiências conseguem chegar no cume, nós já sabemos que eles conseguem. Queremos provar que todos que almejam esse sonho podem realizá-lo.

A expedição terá início dia 15 de julho de 2018 e estará aberta à participação de qualquer pessoa com experiência em trekking e altitude. Caso você busque uma experiência diferente na montanha, acreditamos que compartilhar um pouquinho dos desafios, dificuldades e aprendizados com essas pessoas tão especiais será recompensador.

Saiba mais sobre a expedição


Juliana Tozzi
e Guilherme Cordeiro

Raphael Nishimura

Juliana Tozzi nasceu em 1983 em SP, é contabilista e engenheira civil. Passou boa parte de sua vida trabalhando em grandes empresas até que, durante a gestação de seu filho Benjamin, desenvolveu uma rara síndrome neurológica que lhe tirou a coordenação dos movimentos.
Juliana já praticava montanhismo por muito tempo, mas foi depois da doença aparecer que o seu contato com a montanha ficou mais intenso. Para continuar indo para a montanha, o seu marido – o engenheiro civil paulista Guilherme Cordeiro – modificou uma cadeira que se adapta às condições ruins das trilhas brasileiras. Após uma foto do casal fazendo trilhas com a cadeira viralizar na internet, as coisas mudaram para os dois.
Eles criaram o projeto MONTANHA PARA TODOS que através da cadeira apelidada Julietti, querem tornar o montanhismo acessível para todos. Juliana já é conhecida como a primeira montanhista cadeirante do Brasil. Segundo seu marido Guilherme, uma das coisas que mais mudou foi a motivação da Juliana. Com todo o apoio que o casal vêm recebendo, ela está muito mais motivada para superar a doença.Conheça a história desse casal inspirador.
Raphael Nishimura é um escalador de rocha de 34 anos de SP que escala há 10 anos. Praticante de escalada esportiva e de competição, Raphael competiu em 3 etapas do Campeonato Mundial de Para-escalada em 2012 na França e saiu vice-campeão mundial! Esta foi a primeira medalha brasileira num campeonato mundial de escalada ou Para-escalada.
Ele tem uma doença neurológica chamada distonia muscular onde os impulsos elétricos vêm em grandes quantidades e isso gera muito descontrole para atividades simples. Nishimura teve os primeiros sinais da doença com 8 anos de idade e foi piorando desde então. Em 2014 passou por uma cirurgia para colocar um implante que emite impulsos elétricos, o que diminuiu a gravidade da doença.
Como se não bastasse se dar tão bem na escalada, em 2015 ele começou a competir em campeonatos de Para-ciclismo e já participou da Copa Brasil. Quem conhece o Raphael sabe da grande pessoa que está sempre sorrindo e enfrenta as grandes dificuldades que ele considera algo normal.
Atleta apoiado por ABEE, 90 Graus, Five Ten e Deuter.

Conheça a história do nosso amigo Nishimura


Últimos posts

Parcerias