Trekking Solidário ao Everest – Em breve nova data

Enviar por e-mail

Seu nome (obrigatório)

Seu e-mail (obrigatório)

Copiar amigos (separar emails por vírgula)

Sobre

Trekking Solidário ao Everest – 17 dias – U$2950

Em breve nova data – Kathmandu – Kala Pattar – EBC

Com extensão para visita de escola em Patle. (Em Breve nova data) –  20 dias – U$3650

O Trekking ao Acampamento Base do Everest é um dos mais belos do mundo. Apesar de longo, não apresenta grande dificuldade, pois as trilhas são o único meio de comunicação das vilas de região. Tudo passa por ali e tudo é transportado nas costas de alguém há mais de mil anos.

Além de visitarmos paisagens incríveis que são dominadas pelas montanhas mais altas e famosas do mundo, faremos um mergulho na cultura oriental, convivendo com os povos das montanhas, os Sherpas, e compartilhando lodges e restaurantes frequentados pelos alpinistas que desafiam as mais belas montanhas do Nepal num passeio que nos faz repensarmos o significado da vida.

Karina Oliani

Apresentadora de TV, médica e atleta multi-disciplinar

karinaA conhecida apresentadora de TV, Karina Oliani. Trata-se de uma médica e atleta multi-disciplinar e que é hoje referência em esportes outdoor. Ela já esteve diversas vezes no Nepal e já escalou o cume do Everest, tornando-se a brasileira mais jovem a completar a façanha. Leia mais sobre Karina Oliani.

Maximo Kausch

Líder de expedições e alpinista, recordista mundial de montanhas de altitude

maxMaximo Kausch é o recordista mundial com mais montanhas de 6000 metros no mundo! Ao todo ele já conta com pelo menos 200 expedições em seu currículo. Maximo será o líder do trekking e mais tarde vai levar a equipe do 7 Cumes para o cume do Everest com 8848m. Leia mais sobre Maximo Kausch.

Pedro Hauck

Líder de expedições, montanhista, escalador, geógrafo.

Paisagem refletida nos óculos de Pedro - Foto de Paula KappRecordista brasileiro em ascensão em de montanhas de altitude e quarto montanhismo no mundo com mais ascensões a montanhas andinas com mais de 6 mil metros. Leia mais sobre Pedro Hauck.

O motivo de termos juntando as forças destas 3 personalidades é para ajudar o Nepal. Após o terremoto mais forte da história ocorrido em abril de 2015, o Nepal ainda luta para se reerguer. Nesta expedição vamos arrecadar todo o lucro gerado da expedição de trekking e revertê-lo para as seguintes instituições e projetos: Porque o Trekking é Solidário?

DHARMA PROJECT

dharmaO Dharma Project foi idealizado por Karina Oliani e Andrei Polessi. Através de um site de financiamento coletivo, os autores levantaram fundos para publicar um livro de fotos da Índia e Nepal, que já arrecadou mais de US$15mil para construção de uma escola que beneficiará as crianças vítimas do terremoto no Vale de Patle, no Nepal. As ações de construção da escola se iniciaram ainda em janeiro de 2016 com a participação de Pemba Sherpa (parceiro de escalada do Everest com Karina, com 6 cumes conquistados nessa montanha). A previsão é que a escola fique pronta em meados de agosto deste ano. Agora, as ações do Dharma Project continuam na região: o projeto segue em busca de mais recursos que possam garantir a melhoria da qualidade de vida da população daquela localidade com obras de infra-estrutura, focadas principalmente em saneamento básico, saúde e educação. Leia mais…

MOUNT EVEREST FOUNDATION – NEPAL

12814342_10156683323780613_6067279439836173304_nMount Everest Foundation trabalha há anos com agências de trekking e alpinismo locais e estrangeiras na tentativa de criar soluções baratas e empreendedoras na luta contra a pobreza no Nepal. O idealizador do projeto, o americano Daniel Mazur, dono da empresa de expedições SummitClimb.com, convoca há 22 anos, alpinistas de todas as nacionalidades para ajudar o Nepal. Dan, como é chamado, mora no Nepal e já participou diretamente de literalmente centenas de projetos solidários no Nepal.  Com o dinheiro levantado do lucro de nossos trekkings esperamos reativar 3 projetos de grande magnitude do Mount Everest Foundation. Aumentando a espectativa de vida de centenas de nepalis. Leia mais…

Continue lendo as informações disponíveis aqui e estaremos felizes em esclarecer o maior número possível de dúvidas.

Os requisitos para que você possa participar desta expedição são:

  • Preencher a ficha médica e ter ela aprovada pelo guia
  • Seguro internacional de viagem;
  • Passaporte válido por pelo menos 6 meses após a data da expedição com pelo menos 1 página em branco;
  • Atestado médico de boa saúde física;
  • Experiência em Trekkings de várias jornadas com acampamento (obrigatório);
  • Um bom treinamento cárdio-vascular;
  • Vontade de se divertir;
  • Ler todas as informações disponíveis no website.

Itinerário

Trekking solidário ao Everest – 17 dias

Dia 1 – Chegada do Brasil – 900m

Nosso time vai recebê-lo no aeroporto e levá-lo ao hotel. Hoje vamos encontrar todos os membros da expedição para jantar. Depende de sua hora de chegada você pode comprar e alugar o equipamento que precisa. Incluído: Transporte e noite em hotel 3 estrelas.

Dia 2 – Kathamandu – 1300m

Teremos uma reunião sobre a logística e detalhes da expedição no hotel às 10 da manhã. Hoje vamos também conhecer alguns dos templos que Kathmandu e conhecer algumas áreas afetadas pelo terremoto. Hoje você pode comprar e alugar o equipamento que precisa. Incluído: Transporte e noite em hotel 3 estrelas.

Dia 3 – Vôo Kathmandu – Lukla – Phakding – 2600m

Hoje vamos tentar voar de Kathmandu para Phakding e pousar no famoso aeroporto de Lukla. Esta será a nossa primeira tentativa de vôo pois além de conhecido pela beleza, este vôo é conhecido por ser tão cancelado! Após a nossa chegada em Lukla, vamos passar as cargas para os carregadores e começar o trekking de 2 ou 3 horas até Phakding. Incluído: Vôo interno, transporte, café da manhã, almoço em Lukla, noite em hostel e janta.

Dia 4 – Phakding – Namche Bazar – 3450m

Caminhada de 4 a 6 horas até a capital sherpa, Namche Bazar. Este será também o nosso lugar de descanso e aclimatação por 2 noites. Daqui podemos ver o Everest pela primeira vez. Incluído: Café da manhã, lanche, janta e hostel.

Dia 5 – Aclimatação em Namche Bazar – 3450m

Hoje descansaremos e aclimataremos com a grande altitude que estamos. Aqui estamos dormindo mais alto do que qualquer montanha brasileira, portanto é importantíssimo. Se possível, visitaremos as atrações da região como o aeroporto de Syangboche. Incluído: Café da manhã, almoço, janta e hostel.

Dia 6 – Namche Bazar – Pangboche – 4000m

Trekking de 6 a 8 horas por paisagens realmente maravilhosas! Desde bem alto, vamos acompanhar a lateral do rio Dudh Kohsi e atravessá-lo aos 3300 metros de altitude. De lá vamos lentamente ganhando elevação até chegarmos ao incrível monastério de Tengboche, localizado a 3900m. Daqui temos incríveis vistas do Everest, Ama Dablam, Lhotse e Nuptse. Em mais 1 hora e meia de caminhada, entraremos na pequena vila de Pangboche. Lá teremos uma puja, que é a cerimônia budista de boas vindas que será feita para nossa expedição ao cume do Everest. Os trekkers podem participar. Incluído: Café da manhã, lanche, janta e hostel.

Dia 7 – Pangboche – Dengboche – 4350m

Saindo dos pés do impressionante Ama Dablam com 6816m (considerada uma das montanhas mais belas do mundo), vamos ver como a paisagem muda lentamente e a vegetação começa a desaparecer. Em 3 horas estaremos na vila de Dingboche, de onde podemos ver o também belo e impressionante Pumori. Incluído: Café da manhã, lanche, janta e hostel.

Dia 8 – Descanso em Dengboche – 4350m

Hoje descansaremos e aclimataremos na bela região de Dengboche que fica na entrada do vale ChukHung. Como opção para os que se sentem bem, podemos escalar a pequena elevação de Chukhung Ri com 4850m, tem uma ótima vista para o Baruntse, Island Peak e Lhotse. Incluído: Café da manhã, almoço, janta e hostel.

Dia 9 – Dengboche – Lobuche – 4950m

A caminhada será de 4 ou 5 horas em paisagens secas de altitude. Podemos ver dezenas de lindas montanhas no horizonte. Incluído: Café da manhã, lanche, janta e hostel.

Dia 10 – Lobuche – EBC – Gorek Shep – 5160m

Saindo dos quase 5000 metros de altitude de Lobuche, vamos caminhar por 1 hora e meia passando por Gorek Shep, onde vamos almoçar. De lá continuamos por 2 a 3 horas até o acampamento base do Everest. Após curtir a paisagem e tirar fotos, é hora de voltarmos. Desta vez vamos dormir em Gorek Shep a 5160m. Incluído: Café da manhã, lanche, janta e hostel.

Dia 11 – Gorek Shep – Kala Pattar – Lobuche – 4950m

Hoje vamos escalar um braço do imenso Pumori, chamado Kala Pattar com 5545 metros de altitude. O Kala Pattar é provavelmente a montanha mais escalada do mundo e fornece incríveis vistas do próprio Everest. O caminho de ida e volta é de 5 horas devido a grande altitude. A noite será em Lobuche a 4950m. Incluído: Café da manhã, lanche, janta e hostel.

Dia 12 – Lobuche – Dengboche – 4350m

Hoje vamos continuar a descida para Dengboche, a pequena vila onde descansamos na subida. Calculamos 4 horas de descida. Incluído: Café da manhã, lanche, janta e hostel.

Dia 13 – Dengboche – Namche Bazar – 3450m

Nossa caminhada de hoje terá entre 6 a 8 horas e vamos novamente curtir a capital sherpa, Namche Bazar. Incluído: Café da manhã, lanche, janta e hostel.

Dia 14 – Namche Bazar – Lukla – 2850m

Vamos descer o Dudh Khosi e perder 600 metros de desnível até chegarmos a Lukla, a nossa última cidade da parte de trekking. Incluído: Café da manhã, lanche, janta e hostel.

Dia 15 – Vôo Lukla – Kathmandu – 1300m

Vamos tentar voar logo de manhã num bimotor para Kathmandu. Incluído: Café da manhã, almoço, vôo e hotel 3 estrelas.

Dia 16 – Dia em Kathmandu – 1300m

Se der tudo certo com o vôo, hoje podemos visitar alguns dos lugares onde o dinheiro da expedição está sendo aplicado. Caso o vôo do dia de ontem não tenha dado certo devido ao mau tempo, usaremos este dia para voar. Incluído: café da manhã, hotel e transporte.

Dia 17 – Vôo ao Brasil – 800m

Você será levado ao aeroporto para pegar o seu vôo de volta ao Brasil. Incluído: café da manhã, hotel e transporte.

EXTENSÃO PARA VISITA DA ESCOLA EM PATLE – 20 dias

Dia 1 – Chegada do Brasil – 900m

Dia 2 – Kathamandu – 1300m

Dia 3 – Vôo Kathmandu – Lukla – Phakding – 2600m

Dia 4 – Phakding – Namche Bazar – 3450m

Dia 5 – Aclimatação em Namche Bazar – 3450m

Dia 6 – Namche Bazar – Pangboche – 4000m

Dia 7 – Pangboche – Dengboche – 4350m

Dia 8 – Descanso em Dengboche – 4350m

Dia 9 – Dengboche – Lobuche – 4950m

Dia 10 – Lobuche – EBC – Gorek Shep – 5160m

Dia 11 – Gorek Shep – Kala Pattar – Lobuche – 4950m

Dia 12 – Lobuche – Dengboche – 4350m

Dia 13 – Dengboche – Namche Bazar – 3450m

Dia 14 – Namche Bazar – Lukla – 2850m

Dia 15 – Vôo helicóptero Lukla – Patle – 1800m

Dia 16 – Dia de visita à escola construída pelao Dharma Project em Patle – 1800m

Dia 17 – Dia de trekking para Dahp – 6 horas – 1600m

Dia 18 – Jipe para Kathmandu – 1300m

Dia 19 – Dia em Kathmandu – 1300m

Dia 20 – Vôo ao Brasil – 800m

** O itinerário disponível aqui está sujeito à mudanças devido à condições climáticas, performance do grupo ou mudanças políticas/administrativas do local em questão.

Equipamentos

Todos os clientes GentedeMontanha.com tem desconto de 10% à vista na Loja Alta Montanha. Trata-se da loja virtual com mais variedade de equipamentos de montanha no Brasil. O desconto só é validado para clientes ou ex-clientes do GentedeMontanha.com. O desconto aparece automaticamente quando o cadastro for feito usando o mesmo email que nós temos no seu cadastro. Caso seu desconto não apareça por favor informe o nosso atendimento.

O equipamento é uma das partes essenciais para o sucesso de uma expedição. Siga esta lista rigorosamente e nos informe qualquer dúvida. O equipamento será checado pelo guia logo após a sua chegada. Veja a lista por partes:

Cabeça
  • equipamento-buff

    Bandana

    Buff, bandana ou similar é um lenço cilíndrico que permite vários tipos de uso

    Quantidade: 1 (1 já é incluída)
    Comprar
  • gorro_neblina_cinza-copia

    Gorro

    Gorro de lã ou polartec é muito útil nos dias frios

    Quantidade: 1
    Comprar
  • 141xNxExplorer_noir-vert_J326-514_1722_2.png.pagespeed.ic.jZ4TkJQUm8

    Óculos para montanha

    Categoria 3 ou 4 – com proteção lateral ou que cubra todo o rosto.

    Aprenda a escolher um óculos de montanha para comprar.

    Quantidade: 1 Quantidade: 1
    Comprar
  • 115149251_1GG

    Protetor labial e solar

    Calculamos que a luz UV em montanhas de altitude é de pelo menos 10 vezes maior que ao nível do mar. Precisamos um protetor de pelo menos FPS 30

    Pode ser comprado em qualquer farmácia.

    Quantidade: 1 Quantidade: 1
  • 141xNxlanterna.png.pagespeed.ic.HMEfehu_q6

    Lanterna de Cabeça

    Lanterna de LED ou foco, à pilhas. Preferencia para lanternas com mais de 120 lumens.

    Quantidade: 1
    Comprar
Tronco
Pernas
Mãos
  • Luvas-segunda-camada

    Luvas de segunda camada

    Luvas leves de fleece ou polartec para dias frios ou com vento

    Quantidade: 1 par
    Comprar
Pés
Equipamentos Diversos
  • gel

    Gel de carboidrato

    Gel para ajudar a grande perda de energia no final da expedição

    Quantidade: 2
    Comprar
  • estanque

    Saco de estanque ou de plástico

    Ajuda a manter suas coisas organizadas e secas. Não opte por sacos de lixo, eles rasgam muito facilmente. Estes sacos serão utilizados para embalar todas as roupas e utensílios que irão na mochila.

    Quantidade: 2
    Comprar
  • Saco-de-dormir

    Saco de dormir

    Em montanhas de altitude preferimos os sacos de pluma de ganso. Saiba mais sobre plumas de ganso

    Leia artigo sobre saco de dormir e aprenda como escolher um saco de dormir para comprar.

    Quantidade: de -20C (para mulheres e quem sente mais frio) / -10C (para homens) (temperatura de conforto)
    Comprar
  • deuter

    Mochila

    Veja qual se adapta à sua expedição.

    Leia este artigo e saiba como escolher uma mochila de montanhismo.

    Quantidade: Mochila de trekking de 35 a 45 litros
    Comprar
  • meds

    Medicamentos para altitude

    Os guias do GentedeMontanha.com já contam com complexos kits de primeiros socorros, no entanto seria ótimo que cada um conte as drogas mais básicas durante a expedição.

    Em montanhas de altitude precisamos que você tenha além de qualquer medicamento pessoal, uma cartela dos seguintes medicamentos:

    Ibuprofeno – É o único anti-inflamatório capaz de combater a dor de cabeça de altitude
    Loperamida – controle de diarréia

    Leia mais aqui sobre medicamentos

    Quantidade: kit
  • kit

    Kit higiene pessoal

    Sabão, escova de dentes, pente, toalha, etc

    Quantidade: 1
  • nalgene

    Garrafa para água

    Garrafas de um polímero duro e boca larga. Existem os camelbacks mas dependendo da altitude o cano congela e tem que ter cuidado para o manuseio, para não deixar vazar. Mas são ótimo para hidratação sem precisar parar.

    Quantidade: 2 de 1 litro ou 3 de 600ml Quantidade: 2 de 1 litro ou 3 de 600ml
    Comprar
  • duffel

    Duffel Bag

    Saco do tipo “marinheiro”. Este deve ser resistente e impermeável. Recomendamos 90 a 120L. Usamos este saco para transportar seu equipamento. Se seu equipamento é transportado em animais de carga ou veículos, pode sofrer algum tipo de dano ou molhar.

    Leia este artigo e veja para que serve um duffel bag.

    Quantidade: de 80 litros
    Comprar
  • cadeado

    Cadeado

    Para fechar a mala durante o transporte

    Quantidade: 1
    Comprar
  • Bast∆o-de-caminhada

    Bastão de Trekking

    Ele dá mais estabilidade em terreno solto, em gelo duro ou mesmo em neve.

    Veja qual bastão de trekking comprar em artigo do AltaMontanha.

    Quantidade: 1 ou par
    Comprar

Perguntas frequentes

Vocês dizem que é uma expedição solidária, o que isso significa?

Significa que vamos doar o lucro de cada cliente, para projetos sociais existentes para reconstrução e apoio as vitimas do terremoto, pois o Nepal ainda luta para se reerguer. Nesta expedição todo o lucro gerado da expedição de trekking será revertido para as seguintes instituições e projetos:

o Nepal ainda luta para se reerguer. Nesta expedição vamos arrecadar todo o lucro gerado da expedição de trekking e revertê-lo para as seguintes instituições e projetos:

DHARMA PROJECT

dharmaO Dharma Project foi idealizado por Karina Oliani e Andrei Polessi. Através de um site de financiamento coletivo, os autores levantaram fundos para publicar um livro de fotos da Índia e Nepal, que já arrecadou mais de US$15mil para construção de uma escola que beneficiará as crianças vítimas do terremoto no Vale de Patle, no Nepal. As ações de construção da escola se iniciaram ainda em janeiro de 2016 com a participação de Pemba Sherpa (parceiro de escalada do Everest com Karina, com 6 cumes conquistados nessa montanha). A previsão é que a escola fique pronta em meados de agosto deste ano. Agora, as ações do Dharma Project continuam na região: o projeto segue em busca de mais recursos que possam garantir a melhoria da qualidade de vida da população daquela localidade com obras de infra-estrutura, focadas principalmente em saneamento básico, saúde e educação. Leia mais…

MOUNT EVEREST FOUNDATION – NEPAL

12814342_10156683323780613_6067279439836173304_nMount Everest Foundation trabalha há anos com agências de trekking e alpinismo locais e estrangeiras na tentativa de criar soluções baratas e empreendedoras na luta contra a pobreza no Nepal. O idealizador do projeto, o americano Daniel Mazur, dono da empresa de expedições SummitClimb.com, convoca há 22 anos, alpinistas de todas as nacionalidades para ajudar o Nepal. Dan, como é chamado, mora no Nepal e já participou diretamente de literalmente centenas de projetos solidários no Nepal.  Com o dinheiro levantado do lucro de nossos trekkings esperamos reativar 3 projetos de grande magnitude do Mount Everest Foundation. Aumentando a espectativa de vida de centenas de nepalis. Leia mais…

Quanto equipamento vou ter que carregar? Será que eu consigo?

Você só vai ter que levar uma mochila com a sua jaqueta ou capa e chuva, água, lanche de trilha, câmera de fotos, luvas, protetor solar, óculos escuros, bastão de trekking e uma blusa. No total isso normalmente não passa de 5 kg mais o peso da mochila.

Todo o equipamento de grupo vai ser adquirido, montado, limpo e carregado pelos guias e carregadores. Você não vai ter que carregar nenhum destes. Se você achar que não vai conseguir carregar o equipamento, pode facilmente contratar um carregador extra. Este deve ser pedido com antecedência.

Já o duffel (marinheira) pode pesar até 15kg por pessoa. Este é o limite estipulado pelo parque nacional para cada carregador. 15kg é mais do que o suficiente para o equipamento que você precisa para o Trekking.

Durante o vôo de Lukla você consegue embarcar com 10 kg no Duffel Bag, e 5 kg como bagagem de mão. Depois poderá colocar novamente 15 kg no Duffel para ir com a sua mochila praticamente leve, so com os itens necessários para o dia de caminhada.

Preciso de visto para entrar no Nepal?

Brasileiros não precisam pedir visto antecipadamente para ir ao Nepal. Podemos pedir o visto quando chegar ao aeroporto de Khatmandu. Passaporte original válido por no mínimo 6 meses (Com pelo menos uma página em branco). Solicitamos 2 fotos 3×4 para para o visto e para a permissão do trekking. Informações adicionais no site da Embaixada do Nepal no Brasil: http://migre.me/wo0GV

O visto de turista também poderá ser obtido na chegada do Aeroporto Internacional de Tribhuvan em Katmandu e em seus pontos de entrada designados no Nepal. Contudo, os seguintes casos são gentilmente aconselhados a contatar a Embaixada do Nepal mais próxima antes de entrar no Nepal: a) Pessoa com documento de viagem de refugiados, e b) Cidadãos dos seguintes países: Afeganistão, Camarões, Etiópia, Gana, Iraque, Libéria, Nigéria, Palestina, Somália, Suazilândia,Siria e Zimbábue.

Taxas do Visto

Tipo Duração da estadia Taxa do Visto
Entradas múltiplas 15 dias 25 dólares ou 90 Reais
Entradas múltiplas 30 dias 40 dólares ou 140 Reais
Entradas múltiplas 90 dias 100 dólares ou 350 Reais

O que vai encontrar no Nepal?

O antes relativamente misterioso Reino do Nepal hoje é o paraíso dos montanhistas e praticantes de trekking. Kathmandu, sua capital e maior cidade, é hoje uma espécie de praça do mundo. A cidade cresceu tanto e de forma tão caótica que espalhou se por todo o caldeirão do vale Kathmandu, listado como patrimônio da humanidade pela Unesco. Na alta temporada é fácil esbarrar com alpinistas poloneses, italianos, coreanos e americanos em seus restaurantes, bares e cyber-cafés.

Lembramos que o Nepal é um lugar um tanto pitoresco, bem diferente do Brasil. É um país que está tentando se ocidentalizar e ainda não há coisas que vocês estão acostumados como constituição! O novo governo só tem 10 anos e o país está bem desorganizado ainda mais depois do terremoto. As pessoas não pensam como os brasileiros e não tem o imediatismo que muitos brasileiros têm. O senso comum deles é bem diferente! Em muitos casos vão acontecer coisas inesperadas ou que vocês nem imaginariam. Há 34 castas no Nepal, há dezenas de idiomas completamente diferentes dos outros, há 4 calendários… Costumamos dizer T.I.N. (This Is Nepal), por ser um lugar tão diferente. Para ter uma ideia, o fuso horário deles tem 45 minutos a mais em vez de uma hora. Enfim, não queremos desanimar ninguém, ao contrário, queremos dizer: RELAXE e ADAPTE-SE! Costumamos dizer que no Nepal, no final, tudo se acerta e funciona!

Qual a companhia aérea para chegar em Kathmandu?

Kathmandu é servida pelo aeroporto internacional Tribhuvan. Há diversos vôos desde a Índia e algumas metrópoles asiáticas. Companhias como Etihad (Abu Dhabi), Thai (Bangcoc) e Qatar (Doha) – http://www.qatarairways.com/br/pt/homepage.page servem o destino. Alternativamente, você pode voar até a mais capilarizada Nova Délhi e fazer uma conexão a partir dali. A viagem dura cerca de 1h30 e custa desde US$ 40 com Jet Airways (www.jetairways.com) e Air India (www.airindia.com), entre outras.

Informe nosso atendimento sobre o seu vôo conforme a data do Itinerário para que nosso time possa recebê-lo no aeroporto e levá-lo ao hotel.

Sobre o vôo e vistos necessários em cada país da escala do seu vôo é de responsabilidade de cada  um verificar a necessidade em cada país que realizar a escala, bem como passaporte e hotel. Mas segue algumas orientações:

Visto para Dubai

 1ª Opção: VFS Global

No trecho de ida, quando o cliente não exceder 96 horas a partir da hora de chegada em Dubai, poderá solicitar o visto na chegada no Aeroporto de Dubai, apresentando passaporte válido por 6 meses a partir da data de entrada no país, realizando o pagamento de uma taxa de USD 132,00 (sujeito a alteração sem prévio aviso) e o comprovante de reserva e estadia no hotel, ou através do processo via  o requerimento de visto aos Emirados Árabes Unidos referente ao período de estadia no país, poderá ser efetuado através de nosso website,www.emirates.com/br  => Gerenciar uma reserva existente => Inserir sobrenome como consta na reserva e o código da emirates, clicando na opção “recuperar reserva” => Solicitar visto para os Emirados Arabes Unidos, via VFS Global em um prazo não superior a 30 dias e não inferior a 10 dias antes da efetiva estada no país para vistos normais e pelo menos 04 dias úteis (sexta-feira e sábado não são dias úteis), antes da efetiva entrada no país para solicitação do “express services” . As dúvidas quanto ao processo de requerimento de visto efetuado através de nosso website deverão ser sanadas diretamente com a empresa responsável e em inglês. O prazo para resposta ao e-mail enviado à VFS Global, é de até 48horas.

Os seguintes documentos serão necessários:

– Cópia escaneada e colorida do passaporte do(s) passageiro(s) (bio page e last page) – validade mínima de 06 meses a contar da entrada a Dubai;

– Foto escaneada e colorida de uma foto do(s) passageiro(s);

– Reserva de hospedagem em Hotel ao período integral de estadia em solo emirati.

Caso necessite de suporte técnico, envie um email em inglês, para [email protected]. Após a finalização do processo, os vistos serão enviados por email.

2ª Opção: Capital Marketing

Passageiros que possuem Dubai como Conexão ou destino final de sua viagem e ainda não possuem hotel para o período podem contatar a empresa parceira Capital Marketing, a qual opera com pacotes Emirates Dubai Stopover (hotel +visto). Valores variam de acordo com o pacote que deve obrigatoriamente incluir hotel. Contato abaixo:

Emirates Dubai Stopovers

PMG Capital Marketing | T +55 11 2888 7173

Para visto com a Qatar

Segue as regras:

Brasileiros em trânsito inferior a 08 horas, sem sair da área de trânsito do aeroporto, não precisam de visto de entrada. Caso queira sair do aeroporto, deverá obter o visto de turismo através do hotel, antes da saída do Brasil.

IMPORTANTE:
– Não existe emissão de visto na chegada no Qatar. O visto deve ser obtido antes da saída do Brasil.
– Aconselhá-se que o passaporte tenha validade mínima de 06 meses

Preciso mesmo de uma vacina de febre amarela?

Sim! É obrigatório ter a vacina de febre amarela! É um tanto arriscado permanecer em regiões como aquela sem estar vacinado contra febre amarela. Além disso você deveria ter repelente de mosquitos para minimizar qualquer contaminação.

Se você não tem a vacina, pode ser vacinado em qualquer posto de saúde no Brasil e com o certificado de vacinação, vai precisar comparecer à um posto da Anvisa nos principais aeroportos brasileiros, e trocar a carteirinha local de vacinação por uma internacional. O processo todo é gratuíto. Lembre-se de tomar a vacina pelo menos 10 dias antes da expedição pois esta pode dar reações.

Há comunicação na montanha?

Levamos um telefone satelital e além disso levamos um SPOT para atualizar o Facebook do GentedeMontanha.com diariamente. Fora isso temos rádios VHF para a comunicação entre os guias.

Haverá um telefone satelital na expedição e o número será passado para o nosso pessoal em terra para qualquer emergência que as suas famílias tiverem. Tentamos usar ele SOMENTE PARA EMERGÊNCIAS. No entanto pode ser usado por outros motivos e a ligação custa mais ou menos US$3/minuto.

Celulares brasileiros funcionam com roaming no Nepal, porém só com uma das redes locais. CUIDADO para a sua empresa de celular não cobrar o uso de 3G no exterior. A VIVO por exemplo, cobra R$29.99 por dia de uso de 3G em modo roaming no exterior. O hotel tem WiFi. No trekking no entanto não haverá sinal de celular fora algumas excessões.
Tem como vocês avisarem a minha família sobre como estou?

Claro! Melhor ainda! Nós temos um Blog que é atualizado todo dia! Sempre postamos fotos e textos do andamento da expedição. Por favor visite a nossa página de Facebook e confira a quantidade de posts.

Ouvi falar que o EBC é um trekking longo?

O Trekking ao Acampamento Base do Everest é LONGO. Aproximadamente 140 km ida e volta. Você vai caminhar em media dias mais curtos com até 3 horas de caminhada e dia mais longo com até 7 horas de caminhada.

Tem eletricidade durante o trekking para carregar minha câmera ou telefone?

Sim e não! Dependendo do refúgio tera chance de carregar a bateria (ligado à uma tomada 220v alimentada por um carregador solar) ou podemos carregar telefones e baterias com fonte USB usando o nosso próprio carregador solar. Mas tudo isso depende da quantidade de sol que temos na montanha.

E se eu abandonar ou desistir da expedição?

Se você desistir da expedição enquanto você ainda está no Brasil é possível recuperar parte do seu investimento. Entre em contato para saber mais.

Se você desistir da expedição em Khatmandu, antes de ir à montanha, você pode continuar usufruindo dos serviços que lhe brindamos, como transporte e hotel. No entanto não podemos devolver o dinheiro que você investiu pois toda a logística já vai estar contratada.

Se você desistir durante a expedição, você vai ter que arcar com os custos de transporte e estadia individuais. Todo aquele que deixar a expedição por motivos pessoais ou de saúde, deve arcar com os seus próprios custos.

Qual é a filosofia do Gente de Montanha?

Aceitamos mulheres e homens de qualquer idade, experiência ou ambição. Pedimos aos membros das nossas expedições que tenham paciência, respeitem as decisões do líder e que jamais subam ou desçam sozinhos sem a aprovação do líder.

Lembre-se que você não vai estar pagando uma empresa para levar você para um cume. Você está pagando profissionais do montanhismo com anos de experiência para conduzir você na subida de uma montanha e descer da forma mais segura possível. Por isso sempre focamos muito na aclimatação e segurança.

Nosso roteiro pode parecer mais lento que o de outras empresas, isso é devido à segurança que isso proporciona e também à sua maior chance de atingir o cume.

Quanto dinheiro preciso levar?

Não há nada para ser comprado na montanha mas sim em Khatmandu. Uma vez que deixamos khatmandu, todos os gastos são cobertos por nós. Você precisa de dinheiro para alugar equipamento, comprar o que falta e para pagar por comida. Recomendamos a quantia de U$ 800 em moeda americana. Lembre-se de levar mais se você é daqueles que gosta de comprar muitas lembrancinhas ou precisa alugar muito equipamento.

Vai precisar cobrir gastos básicos como visa, jantares, almoços, e outras coisas. Realizamos a troca de moedas nas ruas de Thamel (centro turístico de Kathmandu), vamos levar vocês à uma casa de câmbio conhecida. Não recomendamos trocarem os dólares no aeroporto pois a taxa é muito alta. Para o equipamento talvez você precise mais.

Cartões de crédito podem não funcionar no Nepal devido às limitações dos bancos brasileiros. Não esqueça de habilitar seu cartão para débito/crédito internacional antes de sair do país. Recomendo você ter todo o seu dinheiro em dólares para evitar qualquer tipo de problema com bancos.

Porque a gorjeta não é incluída no custo?

No Nepal, é costume dar uma gorjeta pré-estabelecida ao staff que trabalhar conosco na montanha. No entanto por não sabermos o número exato de clientes com antecedência, não podemos planejar o valor exato final.

Posso pagar os equipamentos com cartão de crédito?

Sim. Recomendamos você desbloquear o seu cartão para pagamentos internacionais antes de sair do Brasil. Além do IOF de 6.8%, há uma cobrança de 5% de impostos locais. No entanto cartões brasileiros são tão repletos de restrições que recomendamos você ter dinheiro em dólares para evitar qualquer transtorno.

Qual é o treinamento que preciso para esse trekking?

Recomendamos você começar a treinar pelo menos 3 meses antes, dependendo do seu estado físico. Exercícios aeróbicos como corrida e bicicleta. O ideal é pedir para um profissional da educação física que lhe recomende um bom programa de treinamento aeróbico. Um exercício também muito eficiente é percorrer trilhas com uma mochila. CUIDADO com as lesões! Já tivemos alguns casos de clientes que treinaram demais e acabaram se lesionando.

Qual é a experiência que preciso para participar desta expedição?

Para trekking EBC recomendamos ter experiência em caminhadas de mais que um dia assim o montanhista já vem familiarizado com técnicas de acampamento uso de mochilas, etc. Não se trata de uma montanha, mas sim está em uma altitude maior! Recomendamos ter realizado trekking com duração maior que 2 dias mesmo que não seja em grandes altitudes. Nosso guia Maximo Kausch literalmente passa o ano acima de 5500m e sabe muito bem como ajudar os seus clientes a se aclimatarem bem. Só não se esqueça de caprichar bem no treinamento. Conte-nos sobre sua experiência em montanha.

Posso alugar equipamentos no Nepal?

No dia de chegada, um dos guias vai checar o equipamento de cada membro do trekking um a um, assim podem conferir juntos caso esteja faltando algo. Vocês podem deixar coisas no hotel sem problemas enquanto estiverem fora de Kathmandu. No primeiro dia teremos uma reunião e falaremos sobre todos os detalhes do trekking assim todos estamos na mesma frequência!
Quero lembrar que se vocês precisarem comprar algo ainda dá tempo de pedir na Loja Alta Montanha (http://lojaam.com.br) que fica em Curitiba. Com o desconto de 10% para pagamento à vista para os clientes do GentedeMontanha, fica bem em conta e dependendo do que for, fica até mais barato que fora do Brasil. Em Kathmandu há diversas opções para comprar os equipamentos que precisarem. Cuidado pois há muitas coisas falsas. Vamos comprar equipamento juntos se precisarem de algo.

Como é o clima no Nepal?

Nessa região de montanhas temos uma variação grande de temperatura dependendo da altitude onde estamos que estivermos. Em Khatmandu, a temperatura será agradável durante o dia, ao redor de 24 graus, caindo um pouco a noite. Durante o trekking, temos temperaturas agradáveis para caminhar durante o dia, mas ao cair do sol fará bastante frio principalmente nos locais mais altos, quando podem chegar a menos 10 graus durante a noite.

E se eu tiver uma dieta especial?

Avise com antecedência e lembre o nosso guia sobre a sua restrição alimentar. Não podemos ajudar macro-bióticos, veganos ou celíacos devido à dificuldade logística de alimentá-los. Algumas alergias também podem vir a ser um problema. Entre em contato e saiba se a sua restrição alimentar encaixa com a nossa logística.

Quem cozinha nos acampamentos de altitude?

Para um grupo de 10 pessoas temos 3 cozinheiros só para cuidar disso! Você não precisa cozinhar na altitude.

Onde vou dormir durante a expedição?

Em Khatmandu você terá 4 noites em hotel 3 estrelas com café da manhã – os quartos são compartilhados por cada 2 membros da expedição.

Ficará em pousadas/hotels com quartos básicos durante todo o trekking.

Existe água na aproximação?

Aguá é uma dificuldade do roteiro, mas nos fornecemos água para seu consumo e a noite fornecemos bebidas quentes.

E se eu tiver um problema de saúde?

O nosso guia Maximo Kausch possui uma extensa experiência em medicina de montanha e pode recomendar e resolver a maioria dos problemas que você pode chegar a ter. Ele tem um kit médico bem diversificado e pode tratar da maioria dos problemas gastrointestinais, doenças de altitude, alergias e traumas.

E se eu precisar de um resgate?

Resgates podem ser feitos de helicóptero desde alguns pontos específicos na montanha. Estes são um tanto complexos mas podem ser feitos por algum dos pilotos que conhecemos e trabalham na região. Estes resgates são extremamente caros e é imprescindível que você tenha seguro. Os resgates feitos pelos responsáveis no Everest estão incluídos na permissão que nós pagamos ao parque. Resgates de helicóptero não estão incluídos.

Onde vamos ao banheiro no trekking?

Durante todo o trajeto você vai poder ir em banheiros nos estabelecimentos onde dormiremos, chamados de lodges e nos locais que pararmos para almoçar.

E se eu quiser alugar equipamento?

É muito fácil alugar equipamentos em Khatmandu, no entanto a qualidade das coisas não é lá grande coisa… Confira a lista de equipamentos necessária antes de comprar qualquer coisa. O aluguel pode ser pago em dólares ou cartão de crédito.

Qual a temperatura que o meu saco de dormir deve aguentar?

Recomendamos uma saco de dormir com temperatura confortável de -10ºC. Lembrando que a temperatura noturas desta região no verão pode chegar aos -20º do lado de fora da barraca.

Maximo Kausch

Fundador e guia de expedições

Atleta apoiado pelas seguintes marcas:

logos

Maximo Kausch nasceu na Argentina e se mudou para o Brasil ainda quando era criança. Ele escala há 15 anos e se especializou em montanhas de altitude. Durante suas expedições, Maximo conheceu algumas das mais remotas escaladas do planeta e visitou mais de 25 países.

Recentemente Maximo se tornou o recordista mundial de montanhas de altitude ao conquistar o cume de 72 montanhas com mais de 6000 metros de altitude nos Andes. Por isso Maximo Kausch foi escolhido o Aventureiro do Ano em 2013. Ele é um dos alpinistas com mais experiência no mundo.

Maximo é atualmente o guia de montanha mais experiente do Brasil. Ele já liderou 11 expedições em montanhas com mais de 8000 metros, as maiores do planeta, e algumas dezenas de expedições de montanhas com mais de 6000 metros de altitude.

Trata-se de uma pessoa extremamente calma, mesmo diante de situações de emergência nas quais muitos perderiam a calma. Em suas expedições ele sempre está focando em um bom plano de aclimatação brindando assim muita segurança.

Ele literalmente passa a maior parte do tempo em grandes altitude guiando montanhas no Himalaia e Andes. Como guia ele trabalha para a empresa americana SummitClimb.com.

No seu tempo livre Maximo escala rocha e pratica escalada mista em montanhas remotas. Ele conta com pelo menos 80 ascensões nos Andes e várias outras nos Alpes, Pamires e Himalaia. Em 2012 Maximo iniciou um projeto inédito e escalou sozinho 30 montanhas com mais de 6000 metros totalmente sozinho.

Maximo gosta muito de escrever e é um dos maiores contribuidores do portal AltaMontanha.com. Além de seus artigos, Maximo contribui muito para o montanhismo, disponibilizando todas as rotas de montanhas que escala em forma de mapas virtuais para GPS no site Rumos.net.br.

Ele é treinado em primeiros socorros em áreas remotas (WFR) e já participou de mais de 10 resgates em grandes altitudes. Esse possui grande experiência em medicina de montanha e já realizou diversos procedimentos clínicos em grandes altitudes. Maximo tem diversos artigos relacionados à altitude como: fisiologia, drogas, problemas oculares, odontologia, espectro bacteriano e muito mais…

Além disso ele tem uma grande experiência em logística e recursos humanos em montanhas. Ele já conduziu expedições com até 15 trabalhadores e 5 toneladas de equipamentos, colocando centenas de clientes no cume de diversas montanhas.

Premiações

Recorde Mundial: Recentemente Maximo se tornou o recordista mundial de montanhas de altitude ao conquistar o cume de 70 montanhas com mais de 6000 metros de altitude nos Andes.

Mosquetão de Ouro 2015: Pedro Hauck e Maximo Kausch, que moram em Curitiba PR, levaram o prêmio por terem finalizado em 2014 a escalada de todas as montanhas acima de 6 mil metros na Bolívia.

Aventureiro do ano em 2013: Maximo recebeu o prêmio de aventureiro do ano em 2013 pela revista Go Outside pelo seu inusitado projeto de escalada à todas as montanhas com mais de 6000m.

Destaque do ano de 2013: A conceituada revista Blog de Escalada elegeu Maximo Kausch como destaque de 2013 devido à quantidade de escaladas que o alpinista realizou em 2013.

Projeto de destaque em 2014: A Mount Everest Foundation escolheu o projeto de Maximo Kausch e financiou a etapa de exploração de montanhas virgens com mais de 5000 metros de altitude.

Destaque do ano de 2015:  O site Blog de Escalada, um dos principais meios de comunicação do outdoor brasileiro, elegeu Maximo Kausch como o maior destaque no cenário do montanhismo de altitude.

LEIA MAIS

Mais sobre Maximo Kausch

Perfil de Maximo no Wikipedia

Colunista da Go Outside

FanPage no Facebook

Página de Instagram

Coluna no Blog da SPOT Brasil

Coluna na Makalu Outdoors

Perfil na SummitClimb.com

Algumas rotas de GPS publicadas no Wikiloc

Mapa

Custo

O custo total da expedição é de U$ 2950, entre em contato para detalhes sobre formas de pagamento.

O que está incluído:

  • Acompanhamento de Karina Oliani, médica e apresentadora de TV na Discovery Channel;
  • Liderança de Maximo Kausch, o guia de montanha com mais experiência do Brasil na atualidade e um dos alpinistas mais experientes no mundo;
  • Sherpas assistentes, dependendo do número de pessoas;
  • Ajuda para compra ou aluguel de equipamentos em Kathmandu;
  • Desconto de 10% na Loja Alta Montanha;
  • Transporte do aeroporto para o hotel e vice-versa;
  • Permissões de trekking no Parque Nacional Sagarmatha, Nepal;
  • 3 noites em hotel 3 estrelas com café da manhã em Kathmandu – os quartos são compartilhados por cada 2 membros da expedição;
  • Vôo ida e volta para Lukla;
  • Noites em pousadas/hotels com quartos básicos durante todo o trekking;
  • Transporte de 15 kg de carga durante todo o trekking;
  • Uso de qualquer equipamento de emergência como oxigênio, remédios e qualquer instalação médica disposta pela expedição;
  • Café da manhã, almoço (ou lanche) e janta em todo o trekking (detalhes no itinerário);

O que não está incluído:

  • Passagem aérea desde o Brasil;
  • Equipamentos pessoais de trekking;
  • Vistos necessários e passaporte (responsabilidade de cada participante);
  • Devolução de dinheiro em caso de abandono;
  • Seguro de viagem;
  • Custos de excesso de peso para cargas com mais de 15kg;
  • Almoços e jantas em Kathmandu;
  • Reembolso em caso de perca de equipamento por roubo ou fenômenos climáticos;
  • Bebidas que não foram autorizadas pelo líder da expedição nas pousadas (refrigerantes, cervejas, etc);